Reassentados em Pazimane entregues a sua sorte

Reassentados em Pazimane entregues a sua sorte

Falta quase tudo para as cerca de 160 famílias que foram reassentadas em Pazimane no ano de 2014.  A situação é considerada crítica pelas famílias, e pedem socorro ao governo no sentido de criar condições básicas, como hospitais, transporte e escolas. “Pedimos muito urgente um posto de saúde e escola, porque tudo aqui é distante. Os nossos filhos por exemplo são obrigados a caminhar aproximadamente 5 km até a paragem para apanhar transporte para a vila de Marracuene onde está a escola mais próxima” lamentou Raquel.

A nossa entrevistada disse ainda que as mulheres são submetidas a fazer partos caseiros, situação humanamente não aceitável “trazer filho ao mundo tornou se uma tarefa complicada, isto porque nós as mulheres fazemos os partos em casa. Para nós isso é perigoso porque estes partos não são seguros e corremos grandes riscos de vida” lamentou Raquel

O mais agravante para Raquel é o facto do Conselho Municipal ter abandonado a estas famílias “desde que o Município veio nos deixar há 4 anos atrás, isto em 2014, esqueceu-nos no tempo, não visita, estamos entregues a nossa sorte. Não sei se valeu  apena ter vindo para cá, porque é autêntico sofrimento. Tudo é difícil por aqui” conclui.

Comments

comments


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *