Investimento em pequenos sistemas de energias limpas e renováveis debatido em Maputo.

Investimento em pequenos sistemas de energias limpas e renováveis debatido em Maputo.

A Livaningo, Kulima e ADEL-Sofala promoveram no dia 10 de Maio de 2018, na capital do país, um Workshop sobre investimentos em pequenos sistemas de energias renováveis em Moçambique. O mesmo contou com a presença da Sociedade Civil, Governo, Acadêmicos, e Sector Privado.

O evento foi realizado no âmbito do Fórum de Energia e Desenvolvimento Sustentável de Moçambique, FEDESMO, e tinha como objectivos reflectir sobre as oportunidades e desafios para o investimento em pequenos sistemas de energias limpas e renováveis em Moçambique, bem como partilhar experiência entre os vários intervenientes sobre as políticas, estratégias e planos para a redução de taxas de importação dos equipamentos energéticos.

Neste encontro foram apresentados alguns constrangimentos que o sector de energia enfrenta, como é o caso da falta de coordenação entre os diferentes actores, elevadas taxas de importação dos equipamentos, fraca participação do Sector Privado, e a concentração de atribuições e poderes à Electricidade de Moçambique, como única entidade no país autorizada a comprar e vender electricidade.

Entretanto, o Sector Privado acredita que é possível aumentar o acesso à energia, através de uso de pequenos sistemas individuais e mini redes, visto que estes oferecem uma solução técnica e financeiramente adequada a simplicidade e agilidade para obter eletricidade.

Neste contexto, o Governo assumiu que as energias renováveis, constituem parte incontornável das soluções para o grande desafio do acesso à energia, visto que será difícil alcançar o acesso universal através da Rede Elétrica Nacional até 2030, devido à extensão territorial do país e o nível considerável de dispersão das comunidades.

Como estratégias para fazer face aos constrangimentos apontados durante o encontro, a Livaningo defende as Organizações da Sociedade Civil devem fazer parcerias com o Governo e com o Sector privado, e que no seu trabalho com as comunidades que não tem acesso a energia devem privilegiar uma mobilização comunitária activa através dos líderes locais. Além disso, com a promoção de alternativas financeiras sustentáveis como grupos de poupanças e de pontos de venda de pequenos sistemas solares como as lâmpadas solar a organização está a contribuir sobremaneira para o acesso a energias limpas, renováveis e para o bem do ambiente.

De referir que este é o segundo workshop sobre energias renováveis que as três organizações organizam no âmbito do Fórum de Energia e Desenvolvimento Sustentável de Moçambique, FEDESMO.

Comments

comments


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *