Livaningo mapeia necessidades energéticas em Mapulanguene e Mahel

Livaningo mapeia necessidades energéticas em Mapulanguene e Mahel

Quando a noite cai, tarefas simples como estudar, preparar alimentos ficam inviáveis para centenas de populações das zonas rurais de Moçambique que não têm acesso a energia elétrica. Para o efeito, e no âmbito das acções que a Livaningo tem levado a cabo com vista a garantir o acesso fácil e eficiente á energias limpas às populações de baixa renda, através do projecto Energias limpas Renováveis e Mudanças Climáticas, realizou entre os dias 5 e 6 de Julho de 2017, nos Postos Administrativos de Mapulanguene e Mahel, no Distrito de Magude, o mapeamento das necessidades energéticas.

 O mapeamento foi feito através de reuniões com as comunidades e tinham como objetivos identificar as prioridades da comunidade para o sector de energias, formular estratégia de intervenção por parte da Livaningo para introduzir serviços de energias novas, renováveis e limpas. No rol das necessidades energéticas, destacou-se a falta da corrente elétrica, o que obriga as populações a usarem os candeeiros e capim para a iluminação das suas residências.

 “A falta de iluminação dificulta os nossos trabalhos, por exemplo para fazermos os partos com as senhoras temos que usar velas, os professores precisam de preparar a matéria durante a noite mas não conseguem porque não tem acesso à luz. E para carregar os nossos telemóveis temos que percorrer uma distância longa” desabafou Elisa Macucule Enfermeira do Posto Administrativo de Mapulanguene. Para a Livaningo, a introdução das lâmpadas solar naquelas localidades vai trazer melhorias das condições de vida das comunidades que não se beneficiam da energia da rede nacional. “Estamos cientes que com esta energia alternativa, as pessoas poderão iluminar as suas casas, carregar os seus telemóveis, e poderão também fazer algum comércio” disse Marla Abigail.

Pontos de vendas de lâmpadas solar instalado

Com vista a facilitar o processo de aquisição de lâmpadas solares, foram instalados alguns pontos de vendas na vila sede de Magude. De acordo com Rui Mutande esses pontos de venda tem como objectivo facilitar o acesso a energia limpa as comunidades. “ As pessoas não vão precisar de viajar para a cidades de Maputo para comprar lâmpadas, e como organização, vamos nos empenhar para facilitar a comunidade a ter energia e que para tal temos que criar todas as condições” disse o Assistente de Programas da Livaningo.

Além das lâmpadas solares, a Livaningo pretende também estabelecer pontos de recarregamento de telemóveis para a diminuir a distância que as comunidades levam para o carregamento dos telemóveis. De referir que desde 2011, a Livaningo vem desenvolvendo acções que visam garantir o acesso a energias limpas e renováveis as famílias de baixa renda em Moçambique.

Comments

comments


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *