Livaningo e comunidades mapeam prioridades comunitárias na matola

Livaningo e comunidades mapeam prioridades comunitárias na matola

No âmbito das actividades de mobilização e engajamento comunitário para promoção da participação comunitária nos assuntos de governação no Município da Matola, a Livaningo, organização da sociedade civil moçambicana em parceria com os comités de desenvolvimento local dos bairros de T3, Zona Verde, Machava Sede e Matola A, realizou esta quarta-feira reuniões de auscultação para mapeamento dos problemas comunitários.    

O mapeamento das prioridades comunitárias foi feita na base de discussões em mesa redonda entre a Livaningo e membros dos comités que fazem parte da estrutura de ativistas que organização vem mobilizando nos últimos anos. 

No rol das prioridades comunitárias, como sendo problemas que as comunidades enfrentam, destacam-se a deficiente recolha dos resíduos sólidos, falta de iluminação pública, criminalidade, poluição das fábricas caseiras de produção de panelas e fábricas chinesas de produção de varões de ferro, além da fuga de água dos tubos de abastecimento. “A falta de iluminação pública que condiciona a criminalidade e a poluição ambiental provocada por diversas fábricas ao nível da Matola é problema sério que nos preocupa como munícipes”, disse Sábado Chirinda, Presidente do comité de desenvolvimento local no bairro da Matola A. Outro sim, os membros dos comités apontaram o não pagamento de pensões á idosos no ano em curso pelos serviços de ação social, o que coloca inúmeras pessoas em situação precária de vida. “O exercício de mapeamento dos problemas comunitário feito com os comités de desenvolvimento local tem como finalidade elaborar um plano anual de actividades junto dos bairros na base dos assuntos identificados e com isso construir campanhas de advocacia junto das autoridades municipais para resolução dos problemas que as comunidades enfrentam nos seus bairros” disse Alves Talala, Gestor da Área de Promoção da Boa Governação Urbana.  

De acordo com Alves Talala, os problemas prioritários mapeados ao nível de cada bairro irão guiar todo o processo de diálogo e articulação entre as comunidades e as estruturas municipais na busca de soluções conjuntas. “Em termos estratégicos, este exercício julgamos que vai contribuir para a melhoria das condições de vida das comunidades, com base na mobilização e engajamento comunitário que temos vindo a realizar ao nível destes bairros” avançou Gestor da Área de Promoção da Boa Governação Urbana.

De referir que a Livaningo tem vindo a trabalhar em prol das comunidades do Município da Matola desde 1998, ano em que mobilizou diversos actores na campanha de advocacia contra a inceneração de pesticidas obsoletos e a questões ligadas a poluição ambiental da Fábrica de Cimentos da Matola. 

Comments

comments


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *